quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Laura, a nova personagem de Street Fighter, é só mais um objeto sexual dos games?

Pois é. Street Fighter V está chegando. Nem lançou ainda e já está gerando polêmica: primeiro a exclusividade com o PS4 e PC que nem preciso comentar sobre, afinal, todo mundo deve pensar o mesmo (a não ser que você seja um "fanboyola" da marca PlayStation, é claro).
Mas a polêmica da vez, é com uma das personagens novas da série que irão estrear neste próximo jogo da série. A personagem em questão se chama Laura que, segundo os desenvolvedores, é brasileira, tem poderes de raio e alguns golpes inspirados na famosa luta disfarçada de dança: a capoeira.


Confira abaixo o trailer da personagem:


Olha, eu não sei vocês, mas eu gostei. Ela aparenta ter uns golpes bem legais. Sem contar que é brasileira! De certa forma, uma homenagem ao nosso país. Claro, com aqueles estereótipo de sempre, mas fazer o quê? A visão do gringo sobre nosso país é essa aí mesmo... Paciência.

Mas voltando ao assunto principal... A mesma está sendo alvo principalmente das feministas, que alegam ser mais uma personagem de videogame que foi pensada apenas para agradar os jogadores do sexo masculino, onde a visão da """mulher perfeita""" é retratada de forma descarada no design da personagem. Ou seja: uma mulher magra, de seios grandes (destacados pelo exagerado decote) e mais recentemente, usando um short super curto e um top como mostrado em uma imagem da versão beta do jogo.

Confira mais detalhes sobre a imagem nesta matéria da UOL Jogos.

Okay, por mais que eu concorde com o exagero na "sexualização" da personagem (não só eu, mas o próprio produtor do jogo), temos que considerar o fato de que TODOS os personagens do jogo são super estereotipados. Todos muito musculosos (até porque se trata de um jogo de luta, então faz sentido), a maioria com poucas roupas (tem até uns dois personagens homens que só usam cueca) e tudo mais...

Sobre a roupa alternativa da versão beta do jogo, eu acho que seria um erro a produtora por o mesmo na versão final, pois o exagero na "sexualização" da personagem chegou ao extremo com a mesma e acredito que pode gerar uma polêmica mais forte ainda em cima da personagem.
Por mais que no final das contas isso seja "bom" para o marketing do jogo - afinal, falem bem ou falem mal, mas falem de mim -, a visão sobre a personagem vai ficar, no mínimo, defasada para algumas das jogadoras do sexo feminino que são fãs da série. O que é um problema, afinal, a opinião de todo mundo conta, certo? Não interessa a sexualidade!

Alguns dos personagens de Street Fighter.
Ou seja... Por mais que seja muito provável que a maioria dos designers de personagens do jogo sejam homens e que eles tenham pensado "Hm... Vamos fazer uma brasileira boazuda?", querendo você ou não, é um padrão entre os personagens do jogo serem assim, estereotipados para um jogo de luta fantasioso, como é o caso da série Street Fighter.

E como mostrado na imagem acima, há muitas personagens do sexo feminino no jogo e algumas delas usa "bastante roupa" (me refiro as de kimono de luta). Eu particularmente nem sabia disso, até porque eu não curto muito jogos de luta, então Street Fighter não é um dos que costumo jogar.

Tais pessoas que criticam a personagem, na minha opinião, estão cometendo um equivoco e não deveriam destruir a imagem da personagem de tal maneira. Até porque, como personagem brasileiro, só temos o Blanka, mas né... É um monstro verde gigante! Acho que merecemos uma personagem brasileira humana na série, correto? Hahahaha


"Vou detonar esse narigudo!" (Blanka sobre eu ter "falado mal" dele)
Mas e vocês, caros leitores? O que acham disso? Fiquem à vontade para comentar aqui na postagem e... Vamos discutir! Mas educadamente, por favor. Se não, seu comentário será excluído, certo?

Um beijo no olho e até a próxima! :*

Nenhum comentário:

Postar um comentário